Buscar
  • Força Máxima

O grito silencioso

Atualizado: 5 de Mai de 2019

Constantemente será um desafio imensurável falar sobre crianças e adolescentes que sentem a necessidade de se ferir.



Sabemos que a adolescência é o período que gera sentimentos mais intensos, tudo parece maior do que realmente é, e se não dermos a atenção a essa fase de amadurecimento, poderemos ter que lidar com situações extremas onde acontecem os pensamentos de suicídio e a automutilação.


Na maioria dos casos, quase em sua totalidade, há uma pessoa pedindo socorro. O ferimento causado em seu próprio corpo é uma forma de grito silencioso que implora que alguém a salve daquele sentimento, que pode ser uma tristeza muito grande, uma depressão ou até mesmo ansiedade.


Os pais precisam ficar mais que atentos e principalmente não tratar desse assunto como “Frescura de adolescente” ou a famosa frase “Ele está na fase da aborrecência”, isso não ajuda e os resultados são assustadores. Ninguém quer ver um filho tentando suicídio ou se ferindo.


Percebam sinais como choro constante, desânimo, falta ou excesso de apetite, o estilo de músicas e suas redes sociais. Procurem saber o conteúdo pesquisado na internet, pois existem muitos sites incentivadores para crianças se machucarem. Não fechem os olhos, a dor existe e pode ser curada, terapia não é vergonha, não é falha na educação. Não se culpem, estendam a mão e procurem orientação.


A nossa missão como profissionais é entender a causa e tratar a dificuldade daquela criança ou jovem em parceria com a família, é imprescindível essa união para um resultado satisfatório a todos.


Por Bianca Fernandes da Silva - Psicopedagoga Institucional




60 visualizações

© 2018 by Colégio Força Máxima. Proudly created by semcasca